Sem exageros e sem excessos, aproveite bem a vida na Terra


 por Wellington Balbo


A Doutrina Espírita precisa ser estudada constantemente, pois seu arsenal de informações é imenso e intenso, e bem sabemos que em virtude dos múltiplos graus de evolução da criatura humana existem interpretações diversas, embora Kardec e os Espíritos que o assistiram foram muito claros em suas assertivas. As interpretações equivocadas do que disse ou não disse o Codificador ficam por conta de nossa evolução espiritual. Quanto mais avançados nas questões da alma, mais aptos a compreender o que disseram os amigos invisíveis.

Partindo deste ponto, portanto, dos estudos às obras da Codificação, é que nos deparamos com uma série de ferramentas que nos possibilitam um caminhar mais seguro, sem tantos sobressaltos pela Terra.
Basta consultar as obras da Codificação que veremos estampadas em letras claras infindáveis conselhos para que não “atropelemos as ideias”, como dizem os jovens, ou, em outras palavras, não escorreguemos na casca de nossa própria banana.

Engana-se, por exemplo, quem considera ser um deserdado pela Divina Providência, premiado pela Lei de Murphy, que afirma jocosamente: tudo que poderá dar errado, certamente dará.

Há gente que pelo andar de sua vida considera-se preso à lei do engenheiro norte-americano. Mas não é verdade. Tudo aquilo que nos ocorre, na maioria das vezes, é oriundo de nossa imprevidência.

Explico-me, ao mesmo tempo em que peço licença ao leitor para contar experiência pessoal:
Tive um infarto agudo no miocárdio aos 36 anos. É brincadeira? Muito azar - disseram alguns amigos. Rebati a eles: Nada disto. Nenhum azar. Fruto da vida desregrada em todos os sentidos. Alimentação incorreta, fatores genéticos, vida sedentária, jamais dizer “Não” aos outros e estar sobrecarregado de serviço a ponto de repouso ser  luxo.
Pois bem, eis o resultado de tanta imprudência.
Alguns dias internado em UTI de Hospital e mais uma porção de tempo aguardando exames, e, de molho, em casa. E o pior: sem palestras por enquanto... Nada de palestras. Pra mim, um martírio.

Agora, convenhamos, dá pra dizer que um indivíduo que leva vida assim está enquadrado na lei de Murphy?
Claro que não! Por isso, o que disse acima sobre estudar a Doutrina Espírita, amigo leitor, você complemente com aplicar as ferramentas que Ela nos propícia para o bem viver, para o bem aproveitar a jornada humana na Terra.

Estudo sem aplicação é como semente lançada em solo infértil.
Uma das profundas frases legadas por Allan Kardec é esta: “Com suas paixões o homem criou para si suplícios voluntários e a Terra torna-se para ele um verdadeiro inferno”.

O Codificador tem toda a razão. Com os nossos exageros criamos as dificuldades pelas quais transitamos por esta Terra-escola. Muito do que nos acontece aqui não é um MAKTUB, ou seja, estava escrito, mas sim fruto de nossas opções muitas vezes em desacordo com as leis que regem o universo.

Porém, amigo leitor, independentemente do que nos aconteça, estamos todos aqui aprendendo. Uma enfermidade aqui, um acontecimento infeliz acolá são, em suma, lições para que tomemos o caminho correto.

Deixo, pois, minha sugestão: cuide de sua saúde enquanto é tempo, o período na Terra é demais importante para nosso aprimoramento. Eu não cuidei da minha e hoje colho as consequências da negligência, no entanto, registro a experiência para que você evite os mesmos exageros que eu cometi.
Pense nisto!



Um comentário:

Lykkazan disse...

Sabe, amigo, muitas vezes queremos tudo rápido demais e essas coisas acontecem para que tomamos consciência do nosso tempo.
Deus nos ensinou que há tempo para tudo... e muitas vezes esse é o seu tempo de repousar o corpo e ativar a mente. É quando você terá seu tempo para leituras, pesquisas e reflexões.
Abraços,
Lykka